Lubrificantes, Óleos e Graxas para área automotiva, industriais e agrícola

Telefone: (12) 3956-7300

Email: vendas@karter.com.br 

PT  |  ES  |  EN

Telefone: (12) 3956-7300

Email: vendas@karter.com.br 

PT  |  ES  |  EN

Quais são os tipos de graxas?

quais são os tipos de graxas?

Quando se trata de um veículo, equipamento industrial ou até mesmo de um avião, os lubrificantes são de extrema importância para que tudo funcione de maneira adequada. Às vezes você precisa um fluido hidráulico, lubrificante de engrenagens, óleo de motor ou fluido de transferência de calor. E em outras vezes você precisa de algo entre eles, é aí que as graxas entram.

Graxas Automotivas e Industriais

As graxas são lubrificantes sólidos ou semissólidos usados para proteger, vedar e lubrificar os componentes dos equipamentos. Assim como acontece com qualquer tipo de lubrificante, o objetivo ao usar uma graxa é reduzir o atrito criando uma película que separa as superfícies móveis. Lubrificantes, incluindo graxas, evitam o contato do metal com metal.

Embora as graxas possam se comportar de maneira semelhante aos óleos lubrificantes quando usadas como lubrificante, na verdade, elas não são a mesma coisa. Em outras palavras, graxas não são apenas óleos mais viscosos ou espessos. Na verdade, graxas são usadas quando os óleos não conseguem garantir uma lubrificação eficiente. O que torna a graxa um tipo diferente de lubrificante é a viscosidade adicional que garante sua consistência sólida ou semissólida. Essa consistência permite que a graxa permaneça no lugar e não deslise.

Escolhendo a graxa certa

Existem 3 tipos de componentes principais em uma graxa: o óleo básico, seus espessantes e vários aditivos. Todas essas três categorias de componentes determinam se uma graxa específica atenderá às especificações para qualquer aplicação. Como as graxas são usadas em uma ampla variedade de aplicações, desde indústrias automotivas a indústrias aeronáuticas, existem muitas fórmulas diferentes para atender os requisitos de cada segmento.

Óleo básico

Nem todos os lubrificantes são criados iguais e os óleos básicos desempenham o papel mais importante na determinação da graxa certa para um equipamento.

Um fato importante para entender sobre a graxa é que o óleo que fornece a lubrificação real, não a graxa em si. Assim como qualquer outro óleo ou fluido, é realmente tudo sobre esse óleo base.

Sua aplicação determinará que tipo de óleo basico é o melhor, mineral ou sintético e qual viscosidade você precisa. Por exemplo, óleos minerais de alta viscosidade normalmente funcionam bem em aplicações que envolvem condições de carga pesada. No entanto, esse mesmo óleo mineral de alta viscosidade provavelmente não seria o ideal para aplicações de baixa temperatura porque se torna muito espesso. Se o seu lubrificante for mais espesso do que as especificações do OEM, seu maquinário não funcionará em todo o seu potencial e você corre o risco de causar danos.

quais são os tipos de graxas?

Na maioria das vezes, as graxas de base sintética são mais adequadas para desempenho em uma ampla faixa de temperatura. Enquanto os óleos minerais são derivados do petróleo, os sintéticos são frequentemente derivados de ésteres.

É muito importante usar apenas o tipo de óleo básico especificado pelo fabricante do equipamento original (OEM). Embora as graxas sintéticas forneçam um serviço ideal em situações de temperaturas extremamente altas ou baixas, elas não são adequadas para todas as aplicações e podem ser mais agressivas às vedações, em oposição às graxas à base de minerais.

Agentes espessantes

Os espessantes adicionados afetam a consistência da sua graxa, sua suavidade ou rigidez. A graxa pode variar de muito macia (creme) a muito rígida e sólida (cera). A capacidade de uma graxa de resistir à mudança de consistência, apesar das condições de trabalho pesadas, é chamada de estabilidade de trabalho, quantificada pela medição do valor de penetração, muitas vezes referido como valor de penetração de trabalho. É aqui que o Grau NLGI é derivado. As graxas são classificadas pelo National Lubricating Grease Institute (NLGI) e variam de 000 a 6 com base na espessura da graxa após ser trabalhada. NLGI 2 é a espessura de graxa mais comum e tem uma consistência semelhante à manteiga de amendoim depois de trabalhada.

Embora os agentes espessantes não realizem nenhuma lubrificação, eles têm um papel muito importante ao agir como uma esponja. Quando uma pressão é aplicada à graxa, o óleo é liberado para fornecer lubrificação. Quando a tensão é liberada, o espessante e o óleo retornam ao seu estado semissólido ou sólido.

quais são os tipos de graxas?

Os agentes espessantes podem ser classificados como à base de sabão ou não à base de sabão. As graxas à base de sabão incluem sabões de alumínio, cálcio, sódio ou lítio. Um sabão é um sal formado quando um hidróxido de metal, ou álcali, reage com um ácido graxo. Atualmente, as graxas de lítio são as mais populares e representam cerca de 80% do mercado. Não à base de sabão incluem gel de sílica, argila e ureia substituída, sendo a argila a mais comum entre os não sabões.

Cada tipo de espessante tem seus próprios benefícios e limites, dependendo da aplicação.

Aditivos

Os aditivos encontrados nas graxas automotivas e industriais são semelhantes aos dos fluidos lubrificantes. Estes podem incluir antioxidantes, inibidores de corrosão, aditivos de carga, aditivos de extrema pressão etc. e são incorporados tanto no óleo base quanto no espessante.

Uma coisa a considerar com os aditivos é que, embora alguns possam fornece vantagens consideráveis ​​em uma aplicação, eles também podem ser prejudiciais em outra. Veja os aditivos de pegajosidade, por exemplo, que são comuns em graxas. Esses aditivos tornam a graxa pegajosa e ajudam a mantê-la no lugar. Essas graxas pegajosas são ótimas em aplicações que apresentam muitas cargas de impulso, como pinos de caçamba em uma retroescavadeira ou juntas universais em um carro. No entanto, você não gostaria de usar a mesma graxa em uma aplicação de rolamento de alta velocidade. Uma graxa pegajosa criaria muito atrito interno, causando o superaquecimento do rolamento.

Especialista-em-Lubrificantes-Industriais

Resumindo: é extremamente importante considerar todos os componentes que compõem uma graxa antes de utilizá-la para lubrificar qualquer tipo de equipamento.

Quer saber mais? Entre em contato! A Karter Lubrificantes conta com uma equipe de consultores para tirar todas suas dúvidas em relação a graxas e seus tipos.